A projeção do governo alemão de um crescimento de 2,2% este ano não pressupõe um embargo ou bloqueio à energia russa e a economia entrará em recessão se qualquer um deles acontecer, disse nesta quarta-feira o ministro da Economia, Robert Habeck.

O apoio da Alemanha à Ucrânia e as sanções contra a Rússia resultaram no crescimento menor e inflação maior que o governo está agora prevendo, disse Habeck, acrescentando: “Devemos estar preparados para pagar este preço”.

Fonte: MoneyTimes

Riscos do embargo russo ao governo alemão

Sobre expectativas de escassez de energia ou gás natural, Robert Habeck, ministro da economia alemã, divulgou suas preocupações ante a possíveis bloqueios advindos do Kremlin, dado como forma de respostas as atitudes de apoio à Ucrânia. Segundo ele, a economia de seu país corre severo risco de recessão econômica caso esse cenário ocorra, deixando de lado as expectativas inicias de crescimento econômico.

Assim, suas atitudes não são exageradas, visto que o país europeu já se encontra em maus lençóis para sua economia, com altos riscos inflacionários cercando as perspectivas de poder de compra e impossibilitando a confiança real em sua economia.

Inflação global sendo protagonista para as decisões de ativos, inclusive para os criptoativos

Além dos fatores europeus, o mundo agora se encontra na fase de recuperação do período pós-pandemia, entretanto, as medidas necessárias para o controle de tais engrenagens não estão seguindo pelo parâmetro desejado. Assim, é natural que bancos centrais sigam para uma austera linha econômica, visando elevar suas taxas de juros para o controle das altas escaladas nos preços, contudo, tal ação pode provocar um período recessivo na economia, para perspectivas de longo prazo, sendo ainda mais reforçado pela ameaça de escassez de produtos.

Com isso, pode ser possível observar uma leve tendência nos mercados para o medo e incerteza no atual momento, o que torna também para os criptoativos, em especial o Bitcoin, um período ainda muito vago para operações incisivas, visto que seu comportamento pode ser muito bem comparado com as movimentações do mercado tradicional. Nessa perspectiva, a linha mais austera a ser encaminhada pode favorecer a escolha por ativos de baixo risco, deixando o mercado mais arriscado sofrendo com tal migração de capital.

De acordo com o discorrido acima, a posição de recomendação de compra fracionada permanece, ao passo que a prudência gestora ainda é mantida forte nos parâmetros de escolha. Sendo assim, a leve exposição ao Bitcoin pode ser aproveitada, dado que o tom ainda segue em paramentos neutros com suportes do ativo sendo respeitados.

Gabriel Oliveira • Analista Yellow Crypto