Johnson não conseguiu convencer Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos a aumentar a produção de petróleo, de acordo com a Reuters.

A viagem do primeiro-ministro britânico a Abu Dhabi e Riad terminou em fracasso.

Fonte: O Informate

Nenhum aumento à vista na curva de oferta

Após a visita do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, aos Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, estes recusaram-se a aumentar suas produções de petróleo diários. Sem nenhuma conversa diplomática positiva, o mundo ainda observará possíveis altas em relação aos preços da commodity.

Setor de commodities não é o único atingido

Por conta dos processos de sanções impetradas à Russia, o mercado global ficou com menos fornecedores de petróleo, assim, um aumento produtivo poderia aliviar a situação. Entretanto, como o aumento está fora de cogitação, é provável que os preços continuam a se arrastar para novas altas, por conta da escassez.

Portanto, é esperado que demais setores econômicos também sejam atingidos por tais alterações, assim, o setor do mercado de risco, mais especificamente o mercado cripto, poderá sentir tais consequências de forma adiantada, visto que a liquidez de ativos seria constantemente buscada, afinal, o medo para com a possibilidade de perdas poderá crescer.

Movimento por maior liquidez pode se intensificar

Com as recentes declarações do Federal Reserve sobre seus aumentos consecutivos nos juros, visando os baixos danos aos mercados, um aumento de confiança na economia norte-americana pode ser crescente e, por sua moeda ser ainda hegemônica às precificações globais, os principais ativos também podem ser atingidos.

Assim, os fatores monetários dos EUA podem intensificar a elevação dos preços decorrentes da crise de oferta, ao passo que os investidores buscam segurança para seus ativos em títulos do mercado de baixo risco.