A Binance postou ontem uma negação de uma reportagem da Reuters dizendo que concordou em compartilhar informações de usuários com uma agência de inteligência financeira russa chamada Rosfin, que coleta e analisa dados, e acrescentou que faria uma reclamação formal à Reuters citando o próprio editorial da empresa de mídia.

O post da exchange de criptomoedas observou que “um artigo recente da Reuters procurou retratar – falsamente – que a Binance tem laços estreitos com agências controladas pelo FSB e reguladores russos”.

A reportagem da Reuters, citando mensagens de texto, disse: “O chefe da Binance na Europa Oriental e Rússia, Gleb Kostarev, consentiu com o pedido de Rosfin para concordar em compartilhar dados de clientes, mostraram as mensagens”.

Na época, abril de 2021, Rosfin estava tentando rastrear milhões de dólares em bitcoin levantados pelo líder da oposição preso Alexei Navalny, de acordo com o relatório.

A negação da Binance continha uma série de itens com marcadores, incluindo: “Sugestões de que a Binance compartilhou quaisquer dados de usuários, incluindo Alexei Navalny, com agências russas controladas pelo FSB e reguladores russos são categoricamente falsas”.

O The Block informou ontem que um representante da Binance disse que a empresa não ajudou o estado russo em suas tentativas de investigar Navalny.

A Binance continuou dizendo que antes do atual conflito na Ucrânia, seu “engajamento na Rússia não era diferente do de qualquer outra organização internacional”.

Ele acrescentou que, após o início da guerra, a Binance parou de trabalhar na Rússia e “implementou sanções agressivamente”, observando que também doou mais de US$ 10 milhões para o esforço humanitário para ajudar os ucranianos.

Fonte: The Block