Há um mês, a criptomoeda lutava para se manter acima de US$ 30 mil, e acumula pouco mais de 45% de valorização desde então, não esmorecendo nem mesmo com polêmica relacionadas à SEC ou ao projeto de infraestrutura do governo Biden

Por quê?

Diversas são as possibilidades, mas, olhando para a parte técnica, o que se via era uma região muito sobrevendida, com alguns indicadores onchain, a exemplo do SOPR, mostrando que a maior parte dos Bitcoins negociados no período eram no prejuízo, o que o levou a ficar negativo por boas semanas. O avanço, apesar de questões relativamente delicadas como as da notícia, veio acompanhado de uma enxurrada de notícias positivas para o mercado, como por exemplo o avanço considerável de gigantes financeiros do EUA no setor. Com a região dos US$ 40 mil não oferecendo grandiosas resistências como a atual, o preço avançou, até encontrar uma parede mais sólida nos US$ 48 mil.