O grupo chinês Evergrande, em apuros, disse a seus investidores em uma teleconferência nesta terça-feira que a incorporadora anunciaria uma proposta de reestruturação da dívida até o final de julho, disse um participante da teleconferência à Reuters.

Mais cedo nesta terça-feira, Evergrande disse em um comunicado à bolsa de valores que não seria capaz de publicar os resultados financeiros de 2021 até 31 de março, conforme exigido pelas regras de listagem de ações, porque o trabalho de auditoria não havia sido concluído.

A incorporadora imobiliária mais endividada do mundo, Evergrande disse aos investidores em janeiro que pretendia ter uma proposta preliminar de reestruturação em seis meses.

Quase US$ 20 bilhões de seus títulos internacionais são agora considerados inadimplentes. (Reportagem de Clare Jim e Jason Xue Edição de Sumeet Chatterjee e Mark Potter)