As duas maiores corretoras de criptomoedas da Índia desativaram depósitos por meio de um popular sistema de pagamentos, causando confusão em um país que ainda não possui clareza regulatória de o bitcoin (BTC).

Na quarta-feira (13), usuários não conseguiram depositar dinheiro via United Payments Interface (ou UPI, na sigla em inglês) para comprar criptomoedas nas corretoras CoinSwitch Kuber e WazirX, noticiou a Reuters.

UPI é um popular sistema de pagamentos em tempo real que é regulamentado pelo Reserve Bank of India (ou RBI), o banco central do país.

A Reuters acrescentou que usuários reclamaram sobre a falta de clareza das corretoras sobre o porquê da interrupção, mas afirmou que a CoinSwitch havia suspendido a aprovação de transações do UPI por conta da “incerteza regulatória”. Já a WazirX alegou que sua facilidade de depósitos via UPI havia sido desativada em dezembro.

Na semana passada, a Corporação Nacional de Pagamentos da Índia (ou NCPI) havia declarado que não estava ciente de que corretoras cripto estavam usando sua estrutura UPI.

Criptomoedas são bastante populares na Índia — o segundo país mais populoso do mundo. No último ano, investimentos cripto dispararam e se tornaram um mercado multibilionário. Nas últimas 24 horas, as três principais corretoras do país processaram mais de US$ 133 milhões em trades, de acordo com o CoinGecko.

Mas existe pouca clareza regulatória no país: anteriormente, o RBI havia proposto uma proibição para criptomoedas, apesar de, em fevereiro deste ano, legisladores terem aprovado um imposto de 30% sobre ganhos com ativos digitais. O volume negociado despencou drasticamente após a nova lei; o volume na WazirX, a maior corretora do país, caiu 72%.

Além disso, desde o início de abril, empresas na Índia são legalmente obrigadas a declarar suas posses em criptomoedas.

Em fevereiro, Shaktikanta Das, diretor do RBI, havia declarado que criptomoedas privadas são “uma grande ameaça à nossa estabilidade macroeconômica e financeira”.

Fonte: Portal do Bitcoin