A presidente do BCE, Christine Lagarde, descartou os riscos de estagflação em seu discurso no Institut Montaigne, em Paris, na segunda-feira. Ela também disse que as políticas de combate às mudanças climáticas provavelmente aumentarão a inflação no médio prazo, mas serão deflacionárias no longo prazo, e que as políticas monetárias do BCE não estarão em sincronia com a política do Fed.

Fonte: Fxstreet

BCE caminhando para a austeridade, mas com os pés sobre as antigas políticas

Christine Lagarde, presidente de Banco Central Europeu, seguiu seu discurso para o caminho necessário do bloco, o processo ‘hawkish’, não vendo um futuro para estagflação na zona do euro. Contudo, ainda estima que as medidas para o plano de combate às mudanças climáticas ainda podem prejudicar para o médio prazo, acarretando em inflação futura, mesmo que seja seguida por uma deflação.

O necessário aperto monetário ainda parece não conclusivo

Com os últimos dados referentes ao desempenho europeu, fica evidente que a continuidade dos estímulos deve acabar, afinal, com o bloco caminhando para o desenvolvimento no mercado, tal redução seria o ideal. Assim, a austeridade econômica trará um processo de confiabilidade, fortalecendo a moeda e favorecendo o investimento externo, além de estabilizar os preços, que não se encontram em compatibilidade com o mercado de trabalho.

Assim, mesmo que haja o processo positivo citado, uma recessão no mercado poderá ser observada com o baixo incentivo de créditos, dado pela elevação dos juros. Logo, assim como no atual momento, o mercado poderá buscar a liquidez de ativos de risco, com o mercado cripto sentindo os sintomas da elevação dos juros e fim dos estímulos.

Após a precificação formada, a lateralização tende a continuar

Seguindo os últimos eventos ao término da reunião do comitê de política monetária dos EUA, o processo pela austeridade europeia pode acarretar nos mesmos efeitos, formando precificações no mercado cripto que, como no atual momento, tende a seguir lateralizado após tal evento.