O ministro das Finanças de El Salvador, Alejandro Zelaya, anunciou hoje que o país da América Central adiou a emissão de seu tão esperado título lastreado em Bitcoin enquanto espera que as condições do mercado melhorem.

O governo originalmente planejava emitir US$ 1 bilhão em títulos para investidores entre 15 e 20 de março. O governo pretende converter US$ 500 milhões em Bitcoin e usar os outros US$ 500 milhões para infraestrutura e mineração de Bitcoin. Os investidores mantêm o título por pelo menos cinco anos – recebendo dividendos à medida que El Salvador liquida o BTC. O plano também foi referido como “títulos vulcânicos” da proposta de uso do vulcão Conchagua como fonte de energia para mineração.

Zelaya diz que a atual volatilidade do mercado e a guerra entre a Rússia e a Ucrânia levaram as autoridades a adiar a data de lançamento, possivelmente até setembro. No entanto, ele diz que sair para o mercado internacional no outono é difícil.

“Agora não é hora de emitir o título”, disse Zelaya. Ele ainda está expressando esperança de um lançamento durante a primeira metade do ano.

Quando finalmente lançado, o título Bitcoin de El Salvador será emitido pela Blockstream, uma empresa de infraestrutura Bitcoin que visa expandir a adoção do Bitcoin usando o protocolo Liquid do desenvolvedor de blockchain. A Liquid Network é uma camada 2 do Bitcoin que permite a emissão de tokens de segurança e outros ativos digitais.

No ano passado, El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a adotar o BTC como moeda legal. A medida recebeu elogios dos adotantes do Bitcoin e críticas de políticos selecionados, agências governamentais e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Este último, em mais de uma ocasião, disse que a adoção do Bitcoin por El Salvador levanta “várias questões macroeconômicas, financeiras e legais”.

E no mês passado, um trio bipartidário de senadores dos EUA apresentou a Lei de Responsabilidade por Criptomoedas em El Salvador (ACES) , que exigiria que o Departamento de Estado criasse um plano para limitar os riscos ao sistema econômico dos Estados Unidos causados ​​pela Lei Bitcoin de El Salvador . O projeto nota “preocupações significativas” com a política monetária de El Salvador.

Desde que El Salvador tornou o Bitcoin moeda legal em setembro, o Bitcoin atingiu uma alta de US$ 68.000, mas também caiu para seu preço atual de US$ 42.414, de acordo com o CoinMarketCap.com.

Fonte: Decrypt.co

Guerra na Ucrânia + volatilidade

Alejandro Zelaya, ministro das finanças de El Salvador, afirmou que estas foram as razões para postergar o lançamento do produto possivelmente para setembro, ressaltando, que “sair para o mercado internacional no outono” é complicado.

Razões plausíveis?

A invasão russa à Ucrânia vem sendo motivo para as mais diversas preocupações no mundo – até certo ponto com nexo. Isso respalda certa prudência, como esta, mas pode-se dizer que é só: a volatilidade do Bitcoin, desde o início deste ano, vem caindo vertiginosamente conforme o mercado encontrou seu fundo. Paralelamente, os dados sugerem tanto o fim da acumulação como um rally de abril em diante. Sem uma intensificação do confronto, a tendência é de que este venha a ocorrer.

O mercado parece não estar considerando uma piora na guerra. Descartada essa hipótese, e com base nos dados exógenos do Bitcoin, para hold estratégico o contexto sugere compras, principalmente parciais.