O Bitcoin (BTC) abriu a semana com mais uma desvalorização, caindo 3% na manhã de segunda-feira (21). Como resultado, a maioria dos endereços que possuem Bitcoin, agora está perdendo dinheiro, de acordo com dados do IntoTheBlock.

De todos os 47,85 milhões endereços da rede, 24,56 milhões (cerca de 51% do total) estão abaixo do preço de compra de seus investimentos. Ou seja, o valor atual de seus BTC é maior do que o valor que eles pagaram, refletindo prejuízo.

É a primeira vez que isso acontece desde o início do coronacrash induzido pela pandemia do coronavírus em março de 2020. Naquela ocasião, o BTC caiu mais de 50% em um único dia, derrubando os endereços lucrativos.

Dos endereços restantes, cerca de 45% estão dentro do dinheiro, ou seja, ostentando ganhos não realizados. Estes ganhos ocorrem quando o investidor está no lucro, mas não vendeu nenhum BTC e, portanto, não retirou esses lucros. O restante dos endereços está praticamente no ponto de equilíbrio.

Número de endereços com lucro (verde) e com prejuízo (vermelho). Fonte: IntoTheBlock.

Mercado em baixa aumenta prejuízos

De acordo com os dados dos endereços, o IntoTheBlock define endereços no prejuízo como out-of-the-money, isto é, fora do dinheiro. Estes endereços adquiriram BTC a um preço médio superior ao preço do mercado do BTC, que está em US$ 16.067 no momento da escrita deste texto.

O momento de baixa parece exagerado, de acordo com Lucas Outumuro, do IntoTheBlock. Mas o analista diz que o movimento não surpreendente: ciclos de baixa anteriores também terminaram com a maioria dos endereços no prejuízo.

Por exemplo, a porcentagem de endereços no vermelho ficou em 55% em janeiro de 2019. Na ocasião, o BTC atingiu o fundo perto de US$ 3.200 na mesma época, e começou uma alta três meses depois.

O maior indicador da série histórica do IntoTheBlock é de 2015, quando 62% dos endereços operaram no prejuízo. Aquele foi o mercado de baixa pós-colapso da Mt. Gox, quando o preço do BTC caiu de US$ 1.100 para pouco mais de US$ 240.

Dados passados, no entanto, não são garantia de resultados futuros e as consequências do recente colapso do FTX podem trazer mais problemas ao mercado. Isso significa que o BTC pode renovar suas mínimas ao longo dos meses.

De fato, o preço da criptomoeda chegou a ficar abaixo de US$ 16 mil nesta terça-feira (22), renovando mais uma vez o fundo de desvalorização no ano.

Fonte: Criptofácil

As informações contidas nesse artigo são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser interpretadas como oferta ou recomendação de investimentos. Todas as opiniões e estimativas são elaboradas dentro do contexto e conjuntura no momento em que a publicação é editada. O mercado financeiro é dinâmico e as informações, conclusões e análises apresentadas podem sofrer alterações a qualquer momento e sem aviso prévio.
Siga-nos no Instagram: @yellowcrypto.br