Futures Perpetual Funding Rate, que rastreia o comportamento de operadores de mercado futuro, expõe grande resiliência dos comprados: nem caindo de US$ 3520 para US$ 3100 as taxas ficaram negativas. Isso não significa que os preços devam disparar de imediato, no entanto.

Fonte: Glassnode

Futures Perpetual Funding Rate – Taxa de Financiamento de Contratos Futuros Perpétuos

O que é?

O termo se refere aos pagamentos periódicos de operadores em ‘long’ (quando se aposta na alta) ou de ‘short’ (para apostar na queda) com base na diferença entre o mercado de contrato futuros perpétuos e o preço à vista (preço de referência). Em suma, a taxa de financiamento é a responsável por fazer o preço do contrato futuro se aproximar ao preço do ativo à vista.

Como influencia o mercado?

Positiva, significa que os traders estão otimistas, fazendo quem está em ‘long’ pagar uma taxa para quem está em ‘short’. Negativa, a lógica é invertida, com quem está em ‘short’ pagando taxas para quem está em ‘long’. Resumidamente: taxa negativa = mercado majoritariamente baixista; taxa positiva = mercado majoritariamente otimista.

O que está acontecendo?

Ela segue apontando otimismo dominante no mercado, o que leva os posicionados em ‘long’ a pagarem taxas, e atualmente ainda relativamente elevadas, para os que estão vendidos.

Preços não vão disparar?

Sob essa perspectiva, de grande otimismo até aqui, não necessariamente: a história recente mostra que traders em long pagando taxas para vendidos (short), antes de o mercado retomar uma tendência de alta, são levados à exaustão, até que as taxas fiquem negativas por um curto espaço de tempo, não necessariamente levando o preço a perdas acentuadas, cabe ressaltar. O que poderia acontecer seriam outros fenômenos de impacto levando o preço para cima, em confluência com o contexto fundamental (saldo em exchanges, por exemplo, não necessariamente relacionado a derivativos) atual. Para hold estratégico, dados os fundamentos, o momento atual é propício para compra.