Altcoin, conhecida pela natureza voltada ao anonimato, sofreu com quedas por questões em grande parte exógenas, relacionadas ao Bitcoin, mas resistiu em um canal desde 31/03, quando encontrou suporte e ensaiou novas altas. Padrão gráfico sugere bandeira de alta.

Gráfico de 4 Horas Monero / US Dollar. Fonte: TradingView

O que ocorre com a XMR?

Desde que o Parlamento Europeu votou a favor de regulações mais rígidas para criptomoedas anônimas, em março, o token foi de encontro a um rally que lhe aproximou de US $ 230, algo que não ocorria desde janeiro, em uma tendência de alta bastante consistente, com correções se limitando a quedas em torno de 6-8%, bem abaixo da média do mercado atualmente, com topos tendendo a ser mais altos do que fundos anteriores.

Anonimato ainda é o seu maior trunfo

XMR, dada a sua natureza anônima, incorre em um problema não tão comum no mercado: como a sua blockchain é bastante restrida, não há métricas on-chain rastreando movimentos do ativo. Isso acaba se tornando o seu grande fator para investimento, com especulações de escrutínio, como por exemplo banimentos de plataformas ou países, tendendo a lhe impactar positivamente, com o contexto atual não sendo muito diferente.

O revés atual do Bitcoin devolveu ganhos de muitos tokens. Não é absurdo dizer que a Monero está entre as menos afetadas, com as razões passando por uma adoção da dark net, por exemplo, além de grande solidez dada a longevidade do projeto. Seu Índice de Força Relativa apresentou uma reversão de alta no gráfico diário, além de o seu preço ter reagido fortemente acima da Média Móvel de 200 dias no mesmo período, consolidando um cenário de robustez para alta. Ceteris paribus, pela frente há um rally com ganhos entre 5 e 15% a princípio.

Fonte: TradingView

Vinícius Cavalcante • Analista Yellow Crypto