De acordo com dados divulgados pelo U.S Bureau os Labor Statistic o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) caiu para 7,7% em outubro na base anual, já o mensal se manteve em 0,4%. O núcleo do CPI, um dos indicadores preferidos do Federal Reserve caiu para 6,3% na base anual, enquanto na base mensal caiu para 0,3%.
EUA – Núcleo do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) (Anual)
EUA – Índice de Preços ao Consumidor (IPC) (Anual)
EUA – Índice de Preços ao Consumidor (IPC) (Mensal)

Índice de Preços ao Consumidor (CPI), o que é?

O Índice de Preços ao Consumidor é uma medida divulgada mensalmente que examina a média ponderada dos preços de uma cesta de bens de consumo e serviços, como transporte, alimentação e assistência médica. É calculado tomando como base as alterações de preço para cada item na cesta de mercadorias e calculando a média deles. As mudanças no CPI são usadas para avaliar a inflação associadas ao custo de vida da população.

Qual o impacto?

No contexto atual, onde o Federal Reserve está agindo para combater a inflação por meio do aumento da taxa de juros, um CPI mais alto, sugere uma postura mais rígida e uma política monetária mais restritiva, impactando negativamente os ativos de risco. Já um CPI mais baixo que o anterior sugere o oposto, um Fed mais brando, impactando positivamente os ativos de risco.

Reação dos mercados

Após a divulgação do índice de preços ao consumidor(CPI) nos EUA, os futuros do S&P 500, principal índice acionário do mercado americano, da Nasdaq e o Bitcoin reagiram positivamente após a divulgação do dado, subindo cerca 2,61%, 3,03% e 4,45% nos primeiros minutos. Já o índice do dólar, o DXY e os rendimentos dos títulos do governo (T-10 ), (T-5) e (T-2) fizeram o movimento contrário operando em baixa de -1,30%, -3,90%, -4,69% e -4,22% respectivamente.

S&P 500
Nasdaq
Bitcoin
DXY
T-10
T-05
T-02

O que está acontecendo?

A leitura de outubro demonstrou uma significante redução na inflação americana, apenas a base mensal do CPI “cheio” se manteve inalterada em comparação ao mês anterior, a base anual demonstrou um recuo de 0,5%, o núcleo recuou 0,3% em ambas sazonalidades.

A partir dos dados da inflação, tendo em vista o atual contexto, onde o Federal Reserve tende a reduzir a magnitude dos aumentos na taxa de juros, os dados de inflação ao consumidor corroboram esta tese, e sugerem uma alta de curto prazo para ativos de risco, que pode se estender caso a inflação continue demonstrando queda, pois, desta forma, o Fed tende a não se aprofundar em uma política cada vez mais restritiva, e consequentemente permanecer lá por menos tempo.

Sendo assim, no curto prazo, o momento é de alta para ativos de risco. No entanto, os criptoativos enfrentam um problema interno com a possível falência da FTX, e o movimento de alta pode ser interrompido a qualquer momento, portanto, o momento exige muita cautela e atenção a novas informações sobre o caso.

Com base no CPI, o momento torna-se oportuno para operações compradas, no entanto, exige muita cautela, tendo em vista a situação da FTX, sendo um possível catalisador de queda no curto prazo para as criptomoedas.
As informações contidas nesse artigo são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser interpretadas como oferta ou recomendação de investimentos. Todas as opiniões e estimativas são elaboradas dentro do contexto e conjuntura no momento em que a publicação é editada. O mercado financeiro é dinâmico e as informações, conclusões e análises apresentadas podem sofrer alterações a qualquer momento e sem aviso prévio.
Siga-nos no Instagram: @yellowcrypto.br