Relatório de desemprego dos EUA, se mais uma vez robusto, deve impactar preços de ativos de risco, resultando em novo mergulho em direção a fundos de preço atuais.

O que é um fundo no gráfico?

De acordo com a Lei da Oferta e Demanda, o preço de um ativo forma um fundo no gráfico quando a força compradora se sobrepõe a força vendedora, revertendo uma movimentação anterior de baixa para uma movimentação de alta.

Qual o impacto dele nos preços?

Se a força compradora se sobrepôs a vendedora, isso pode significar duas coisas que, inclusive, podem ocorrer simultaneamente: quem vendeu o ativo anteriormente percebeu uma boa oportunidade de compra; ou, quem ainda não tinha vendido, não estava achando atrativo o preço naquele momento para vender.

Em ambas as situações, uma região de fundo significa uma região em que o preço foi considerado “barato” para os agentes econômicos no passado e, por isso, essa região se torna uma região de “resistência” compradora. Afinal, quem está olhando o histórico do preço percebe que essa não é uma boa região de venda, mas sim de compra. Logo, se torna difícil do preço deste ativo romper tal patamar e ser negociado abaixo desta região.

No entanto, quando o preço é negociado durante um certo tempo abaixo de um fundo gráfico anterior, isso significa que a força vendedora está maior do que da última vez em que o preço chegou naquela região, podendo indicar uma desvalorização do preço a seguir ao rompimento desta resistência psicológica de compra.

O que pode acontecer?

Muito embora os mercados apresentem indecisão, um relatório de emprego ainda forte para o mês de junho pode impactar negativamente bolsas, respaldando uma visão de queda dos níveis atuais, com alvos de entrada em fundos gráficos.

Fonte: TradingView