De acordo com dados divulgados pelo S&P Global, a leitura preliminar do Índice de atividade dos gerentes de compras dos EUA caiu para 45 pontos em agosto, contra 49 pontos esperados, e 47,7 de julho. Além disso, o PMI Industrial caiu para 51,3 pontos, contra 52 esperados, e 52,2 de julho. O PMI do Setor de Serviços caiu para 44,1 pontos, contra 49,2 esperados, e 47,3 de julho.

O que é o PMI?

O PMI consiste em um índice que busca medir o nível da atividade econômica dos setores de serviços e manufatura. Geralmente, qualquer valor acima de 50 pontos indica expansão do setor, e qualquer valor abaixo disso, indica uma contração.

Qual seu impacto nos mercados?

Em resumo, no atual contexto, em que se há uma alta inflação nos Estados Unidos e um Fed buscando a reversão de sua política monetária. Um PMI forte seja do setor de serviços ou manufatura, sinaliza que atividade econômica ainda se mantém relativamente resiliente ante o aperto monetário, e isso indica pressão vendedora para os ativos de risco (criptomoedas, mercado acionário, etc).

O que está acontecendo?

A divulgação do PMI Industrial pelo S&P Global demonstrou uma leve contração da atividade industrial, o que tende a limitar as ações do Federal Reserve em seu aperto monetário, o que estava sendo muito aguardado pelos investidores.

Recentemente, após membros do Federal Reserve e do Federal Open Market Committee dizerem que o trabalho do Fed com a inflação ainda não havia acabado, dando sinais de que o aperto monetário continuaria, enquanto os investidores aguardavam uma abordagem mais branda por parte do Fed, causou uma reação negativa nos mercados, o que levou o S&P 500 de 4.320 pontos para a atual região em 4.130 pontos.

No entanto, a leitura de hoje do PMI traz um leve otimismo aos investidores, que, mesmo ainda indecisos sobre a magnitude do aumento na taxa de juros da próxima reunião do FOMC, estão mais tendenciosos a uma elevação de 50bps, o que está levando o S&P 500 a operar em alta na sessão de hoje.

Reação do mercado

O S&P 500, o principal índice do mercado acionário norte-americano, migrava para o lado positivo, após abrir em baixa.

O rendimentos dos títulos de 10 anos (T-10), após um rally que o levou para acima dos 3%, corrigiu forte, com as perspectivas de juros menores por parte do Fed.

Seguindo o restante do mercado acionário dos EUA e altamente sensível a mudanças nas taxas de juros, o índice Nasdaq também virava para a alta.

E por fim, o principal benchmark do mercado crypto (Bitcoin) devolvia as perdas diárias, seguindo altamente correlacionado com as bolsas.

Dado o que foi exposto, enquanto os mercados de ativos de risco interpretam os dados de forma positiva, uma vez que isso poderá resultar em um Fed menos ‘hawkish’, é plausível o posicionamento de ordens compradas em criptoativos.

Artigo de Opinião dos Analistas: Gualter Rocha e Kleiton Luna