Equipes de resgate escavaram sobreviventes dos escombros de um teatro na cidade sitiada de Mariupol, que a Ucrânia disse ter sido atingida por um ataque aéreo russo enquanto civis se abrigavam dos bombardeios.

A Rússia negou atacar o teatro, mas suas forças explodiram cidades e mataram muitos civis em seu ataque à Ucrânia, agora entrando em sua quarta semana.

Autoridades de ambos os lados se reuniram novamente, na quinta-feira (17), para negociações de paz, mas disseram que suas posições permanecem distantes.

Fonte: Reuters


Resoluções para o conflito ainda distantes

Em meio aos escombros da guerra, nenhuma negociação entre os países chegou a um resultado positivo, afinal, ambos possuem exigências, mesmo com a ilegitimidade da invasão russa. Assim, o que levará os rumos da guerra será a capacidade ofensiva da Rússia ou a resiliência ucraniana.

Impactos globais ainda são esperados

Como já visto em outros períodos históricos, nenhum lado fica imune às consequências da guerra e no atual período de interdependência econômica entre os países, isso se reflete ainda mais. Portanto, sem um fim aparente, há expectativas de arrasto nos preços de diversos setores do mercado global.

Ainda assim, há risco para as cadeias de suprimentos, que por conta das sanções aplicadas ao país invasor, países dependentes podem sofrer com isso. Logo, é natural que os investidores busquem a liquidez de seus ativos em meio à situação formada, com tal caminho sendo sentido nos criptoativos, dado que possuem respostas similares aos ativos acionários, mas, em alguns casos, mais rapidamente.

Fatores monetários globais também influenciam a busca por liquidez

Além das consequências das sanções econômicas serem sentidas no mercado, como visto acima, os dados monetários inclinados para um ‘hawkish’ também possuem presença, visto que favorecem os ativos de baixo risco, como a posse de moeda e títulos do tesouro.