Em meio ao governo chinês que continua comemorando o declínio maciço dos mercados de criptomoedas este ano, um importante especialista local em blockchain se referiu às criptomoedas como um esquema Ponzi.

Yifan He, CEO da Red Date Technology – uma grande empresa de tecnologia envolvida no desenvolvimento do principal projeto de blockchain da China chamado Blockchain Service Network (BSN) – escreveu um novo artigo dedicado a vários tipos de criptomoedas e sua suposta natureza semelhante a Ponzi.

Publicado no jornal local The People’s Daily no domingo (26/06), o artigo se refere às criptomoedas privadas como o “maior esquema Ponzi da história da humanidade”.

O autor mencionou o colapso da rede Terra, com o token nativo Terra (LUNA) – agora conhecido como Luna Classic (LUNC) – caindo 99% e a stablecoin algorítmica TerraUSD Classic (USTC) perdendo seu valor de 1:1 para o dólar dos Estados Unidos em maio de 2022. Ele também criticou o conceito cada vez mais popular de moeda virtual conhecido como X-to-earn, referindo-se a projetos de mover-para-ganhar ou jogar-para-ganhar, chamando o modelo de “estratégia de phishing”.

O presidente da BSN também mencionou algumas críticas bem conhecidas ao Bitcoin (BTC) pelo fundador da Microsoft, Bill Gates, e pelo lendário investidor Warren Buffett.

Ele também não é fã de Bitcoin ou de quaisquer criptomoedas semelhantes. “Atualmente, todas as criptomoedas não regulamentadas, incluindo Bitcoin, são esquemas Ponzi com base no meu entendimento, apenas diferentes níveis de risco com base nos valores de mercado e no número de usuários”, disse ele em comunicado ao Cointelegraph na segunda-feira (27/06).

O presidente da BSN acrescentou que nunca teve nenhuma carteira de criptomoedas ou ativos relacionados: “Eu não os toco e não os tocarei no futuro, mesmo que sejam regulamentados, porque não considero que tenham qualquer valor…”

Segundo He, governos como El Salvador – que optaram por adotar o BTC como moeda legal – “precisam seriamente de treinamento básico de financiamento”. “Caso contrário, eles colocam países inteiros em risco, a menos que suas intenções originais fossem construir plataformas estatais de negociação de criptomoedas e enganar seus cidadãos”, disse o executivo ao Cointelegraph.

Enquanto critica o Bitcoin e muitos outros projetos de criptomoedas, ele ainda acredita que parte do mercado de criptomoedas pode estar indo bem se for devidamente regulamentado. Stablecoins lastreadas em dinheiro como Tether (USDT) e USD Coin da Circle (USDC) não devem ser vistos como esquemas do tipo Ponzi, disse o presidente da BSN, afirmando:

“USDC ou USDT são moedas relacionadas a pagamentos, não ativos especulativos. Uma vez que elas são totalmente regulamentados, elas estão bem.”

Ele já havia falado a favor de stablecoins em 2020. O executivo uma vez planejou integrar os pagamentos de stablecoin à BSN a partir de 2021. O plano acabou sendo descartado devido à hostilidade da China às criptomoedas.

A notícia vem em meio ao governo chinês capitalizando o atual crash do mercado de criptomoedas para justificar suas múltiplas proibições no setor. A última proibição coordenada foi promulgada em setembro de 2021, com várias autoridades chinesas tomando medidas para proibir todos os tipos de transações de criptomoedas no país.

Apesar de todos os esforços, a China continuou a ser um fornecedor dominante de mineração de Bitcoin em todo o mundo. De acordo com dados do Índice de Consumo de Eletricidade de Bitcoin de Cambridge, a China era o segundo maior produtor de taxa de hash de mineração BTC depois dos Estados Unidos em janeiro de 2022.

Fonte: Cointelegraph