O Real digital passou por testes na rede blockchain da Stellar, mostrando sucesso nas primeiras iniciativas envolvendo tokenização. Os testes não utilizaram necessariamente as criptomoedas XLM no processo.

De acordo com informações divulgadas pelo Valor Econômico, os testes envolvem a realização de transações na moeda digital tokenizada do Brasil.

Todos os primeiros testes foram concluídos com segurança e dentro dos parâmetros de rastreabilidade e compliance aceitáveis pelo Banco Central do Brasil.

Real digital fez testes com Stellar para tokenização da moeda

Para conduzir os testes, o Mercado Bitcoin (MB), a fundação Stellar, a CPQD, a ClearSale e a CheeseCake se uniram para conduzir o piloto.

Durante os testes houve simulações de transações do tipo DvP (Delivery versus Payment), em que um protótipo do Real digital serviu para o pagamento de tokens. A transação ocorreu quase sem custos e com confirmação instantânea.

O processo envolveu todas as etapas de transações, desde o cadastro com práticas de “conheça seu cliente”, políticas antifraude, com gestão de identidade digital e ferramentas de validação descentralizadas.

A emissão de ativos, gestão e carteira ficaram por conta do protocolo Stellar. Como as transações possuem rastreabilidade de ativos, de endereços e chaves, além das identidades, atende aos requisitos regulatórios.

Os testes também mostraram a usuários sem experiência com plataformas de criptomoedas como funciona o ambiente. O resultado apresentado ao LIFT pode ajudar o Banco Central do Brasil a definir o projeto do Real digital, que deve chegar até 2024.

Nova moeda faz Banco Central do Brasil ganhar prêmio internacional

O novo projeto apresentado pelo Mercado Bitcoin e Fundação Stellar sobre o Real digital mostra que a CBDC do Brasil pode avançar no mercado de criptomoedas. Um dos planos do regulador é o de criar uma tecnologia que faça a intermediação da moeda nacional com o ecossistema das criptomoedas.

Com o projeto do Real digital e iniciativas envolvendo o LIFT, o Banco Central do Brasil ganhou o prêmio de mais inovador do mundo pela Global Financial Market Review.

“Este prêmio reconhece a forma diferenciada com que o Banco Central do Brasil tem focado no atendimento ao cliente com sua diferenciada metodologia de gestão de segmentos e inovação ao longo do último ano, com destaque para a atuação em Real Digital e LIFT. O Banco Central do Brasil tem garantido que a satisfação do cliente está no centro de suas atividades e isso se reflete no Prêmio.”

Com isso, fica claro que o projeto da CBDC brasileira segue avançando com reconhecimento internacional.

Fonte: Livecoins