O ex-CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, se declarou inocente de todas as acusações criminais que recaem sobre ele relacionadas ao colapso da exchange de criptomoedas, incluindo fraude eletrônica, fraude de valores mobiliários e violações das leis de financiamento de campanhas eleitorais.

Vários observadores no Tribunal Distrital dos Estados Unidos no Distrito Sul de Nova York em 3 de janeiro relataram que os advogados de Bankman-Fried haviam se declarado inocentes em nome de SBF em sua primeira aparição no tribunal desde dezembro. Bankman-Fried enfrenta oito acusações criminais, que podem resultar em 115 anos de prisão caso seja condenado.

A promotora adjunta Danielle Sassoon, uma das promotoras no caso contra o ex-executivo da FTX, teria dito que sua equipe pretendia fornecer aos advogados de SBF documentos de prova nas próximas duas semanas. A Reuters informou que Sassoon estava antecipando um julgamento de quatro semanas, que os registros do tribunal mostraram estar marcado para 2 de outubro.

O ex-CEO da FTX estava em prisão domiciliar na casa de seus pais na Califórnia desde 22 de dezembro, mas voltou a Nova York para a audiência de confissão. O juiz Lewis Kaplan também estipulou que a liberdade de Bankman-Fried dependia de ele não acessar ou transferir qualquer criptomoeda ou ativos da FTX ou da Alameda – provavelmente em resposta a relatos de que ele havia transferido fundos das carteiras da Alameda enquanto estava em casa.

Sam Bankman-Fried chegou ao tribunal para sua acusação. Fomos informados de que ele se declarará inocente de todas as acusações contra ele.

— Connell McShane (@connellmcshane)

Na mesma audiência, o juiz concedeu a um pedido da equipe jurídica de SBF para omitir informações sobre a identidade dos outros indivíduos que atuam como fiadores para garantir os US$ 250 milhões estipulados como fiança. Os pais de Bankman-Fried teriam sido “alvo de intenso escrutínio da mídia, assédio e ameaças” desde que se tornaram fiadores do filho em dezembro.

O caso da promotoria contra SBF alega que ele e outros executivos da FTX usaram ativos depositados na exchange de criptomoedas para financiar investimentos por meio da Alameda Research sem o consentimento ou conhecimento de clientes ou investidores. A exchange entrou com pedido de falência em 11 de novembro.

O cofundador da FTX, Gary Wang, e a ex-CEO da Alameda, Caroline Ellison, já se declararam culpados de acusações relacionadas, com a última alegando que a FTX atuou como uma “facilitadora de empréstimos” para a Alameda de 2019 a 2022. John Ray assumiu o cargo de CEO da FTX em meio ao processo de falência e também prestou depoimentos aos legisladores em uma audiência em dezembro explorando o colapso da empresa.

Fonte: Cointelegraph

➤ Clique aqui e receba em seu celular notícias e análises! É GRATUITO – Portal Yellow no Telegram

Siga-nos no Instagram: @yellowcrypto.br