Padrão de queda vai sendo formado na moeda-meme, e pode levá-la a perdas de mais de 20% dos níveis atuais, em meio a mercados em queda receosos pela elevada inflação dos EUA.
Fonte: TradingView

O que é um OCO?

Fazendo jus ao seu nome, o ombro-cabeça-ombro (OCO) é um padrão gráfico em que a movimentação do preço de um ativo forma uma figura parecida com o tronco humano. Sendo este um padrão de reversão de um movimento anterior de alta para um movimento de queda.

O que significa um OCO no gráfico?

Após um período de valorização no preço de um ativo, há uma arrefecida natural da força compradora (pois “todo mundo já comprou”) e a força vendedora aumenta com os investidores realizando lucro, gerando uma queda no preço que ocasiona em um primeiro topo no gráfico (o “ombro esquerdo”). Após a correção do preço, aproveitando da “promoção”, muitos investidores que não venderam no topo anterior aproveitam para “dobrar a aposta”, pedindo empréstimos às corretoras, garantidos no lastro das suas posições anteriores, para comprar mais.

Então, o preço sobe mais uma vez, rompendo o topo anterior e formando um “pivô” de alta no gráfico. No entanto, como o preço já subiu bastante e, agora, não mais de forma saudável, como também de forma alavancada por empréstimos, faltam recursos para comprar mais e a força vendedora se sobrepõe a compradora, fazendo o preço cair (formando a “cabeça”). Contudo, como muitas posições alavancadas estavam garantidas no preço do ativo, conforme o preço cai, as corretoras começam a fazer “chamada de margem”, obrigando muitos a venderem no prejuízo para arcar com suas dívidas, derrubando o preço rapidamente em direção ao último fundo (local onde a alavancagem começou a crescer), desalavancando o mercado.
Após o pânico gerado pela queda e as liquidações forçadas geradas pela desalavancagem, a força vendedora reduz e o preço volta a subir, seguindo a tendência anterior de alta, mas sem muito volume (formando o “ombro direito” na mesma altura do “ombro esquerdo”). Então, quando os investidores se dão conta que a queda anterior realmente era fundamentada e não existia motivos para tanta euforia, a força vendedora se sobrepõe a compradora mais uma vez, rompendo a “linha do pescoço” e fazendo o preço tender a corrigir toda a movimentação de alta anterior (já que não havia motivos fundamentais para o preço subir).

O que está acontecendo?

O token apresentou leve reação após esbarrar no suporte da chamada “linha do pescoço”, dando continuidade à formação do padrão, estando, no momento, formando o “ombro direito” no timeframe exposto.

Rompida a “linha do pescoço”, que representa o suporte em que ela se encontra atualmente, o seu preço deve sofrer uma correção próxima de 25% em seguida. As razões passam pelo fato de este ser o próximo suporte mais sólido dela, confluente com um alvo de extensão de Fibonacci em 161,8%, superando o alvo do padrão isoladamente, sendo este um cenário a ser concretizado com uma perda de preços do BTC dos US$ 19 mil. Como razões para isso, passam os temores com a elevada inflação dos EUA, que podem levar o FED a aumentar a taxa de juros em 100 pontos-base na próxima reunião do Comitê de Política Monetária da instituição.
Fonte: TradingView