Indo além, Ardoino lembrou que a Tether (USDT) “está segura”, afinal o token roda em blockchains como Ethereum e Tron. Portanto, o ataque foi rapidamente mitigado e apenas o site apresentou problemas aos visitantes durante o final de semana.

Com o mercado receoso com stablecoins após o colapso da TerraUSD (UST), a Tether também anunciou que estará trabalhando com uma das 12 maiores empresas de contabilidade do mundo para fornecer transparência aos investidores.

Tether sofre ataque DDoS

Embora o site da Tether esteja acostumado com 2.000 pedidos a cada 5 minutos, este número saltou para 8 milhões neste sábado (18).

Segundo o diretor de tecnologia da stablecoin USDT, o motivo foi um ataque, seguido por um pedido de resgate para que os mesmos cessassem.

“Esta manhã a Tether recebeu um pedido de resgate para evitar ataques DDOSes em massa. Já tentaram uma vez. Em um dia normal, temos cerca de 2k pedidos/5min. O ataque nos levou a 8M pedidos/5min.”

Seguindo, Ardoino nota que apenas o site da Tether foi afetado, de qualquer forma, o problema foi rapidamente mitigado. Já o USDT, continuou funcionando normalmente nas várias blockchains e exchanges onde é transacionado e negociado.

Tether em declínio

O colapso da stablecoin algorítmica TerraUSD (UST) no mês de maio deixou muitas cicatrizes no mercado. A principal delas foi a falta de confiança em projetos com pouca transparência, incluindo a própria Tether.

Embora ainda seja a maior stablecoin do mercado, a Tether já queimou 15 bilhões de tokens USDT, equivalentes a R$ 77,25 bilhões, no último mês.

Valor de mercado da Tether (USDT) em queda nos últimos meses. Fonte: CoinMarketCap

Na contramão, sua principal rival, a USD Coin (USDC) emitiu cerca de 8 bilhões de tokens (R$ 41,2 bi) no mesmo período. Hoje a diferença entre as duas é de apenas US$ 12 bilhões, contudo, o volume de negociação da Tether ainda é quase 10 vezes maior.

Tether realizará auditoria de fundos

Para tentar fornecer uma maior transparência sobre os fundos em sua posse, a Tether anunciou nesta segunda-feira (20) que fará uma auditoria dos fundos. Ao ser questionado sobre os motivos para não escolher uma das quatro maiores empresas contábeis, chamadas Big Four, Paolo Ardoino argumento que o processo seria mais difícil.

“Acho que é uma das 12 primeiros, então não é tão ruim”, declarou Paolo Ardoino ao EuroMoney. “As Big Four são um pouco mais cautelosos em fornecer uma auditoria completa quando as regras não são claras.”

Portanto, a ação da empresa pode estar associado ao temor de ser substituída por outra. Apesar disso, a escolha da empresa de contabilidade não passou tanta confiança aos mais céticos.

Fonte: Portal do Bitcoin