A taxa de hash do Bitcoin ( BTC ), uma medida de segurança de rede baseada no poder de computação para mineração, alcançou um novo recorde histórico (ATH) de 231.428 exahash por segundo (EH/s) em meio a um mercado de baixa contínuo que testemunha o preço do BTC caindo abaixo do crítica marca de US $ 25.000.

A taxa de hash é diretamente proporcional ao poder de computação do equipamento de mineração para confirmar transações, o que impede os maus atores de manipular transações na cadeia. Complementando a nova taxa de hash ATH, a dificuldade da rede Bitcoin está em uma posição forte de 30,283 trilhões.

O número estimado de TH/s que a rede Bitcoin está realizando nas últimas 24 horas. Fonte: Blockchain.com

Alguns dos pools de mineração de Bitcoin mais populares com base na participação de mercado incluem Poolin, AntPool, F2Pool, ViaBTC e SlushPool. No entanto, a maior parte da taxa total de hash é contribuída por mineradores distribuídos, mostrados como ‘Outros’ no gráfico abaixo.

Uma estimativa da distribuição da taxa de hash entre os maiores pools de mineração. Fonte: Blockchain.com

Apesar da queda do mercado que ameaça eliminar vários projetos de criptografia, o ecossistema Bitcoin continua a fortalecer seu núcleo registrando consistentemente novos ATHs para taxa de hash, dificuldade de rede e capacidade de rede .

Além disso, a Bitcoin Lightning Network – a tecnologia de camada 2 construída no Bitcoin – aumentou sua capacidade para 4.000 BTC, avançando seu objetivo de permitir transações BTC peer-to-peer mais rápidas e baratas.

Com suporte contínuo de mineradores, comerciantes e desenvolvedores, o Bitcoin permanece bem posicionado para ser hospedado na rede blockchain mais segura do mundo.

A TBD , subsidiária da Block, anunciou planos para construir o “Web5”, uma nova web descentralizada centrada no BTC, ressaltando a crença do fundador Jack Dorsey de que a maior rede blockchain desempenhará um papel importante na evolução da internet.

Ao contrário do objetivo da Web3 de descentralizar a internet, Dorsey prevê a Web5 como um sistema baseado em identidade que roda apenas na blockchain Bitcoin. Conforme explicado anteriormente pelo Cointelegraph, com base nos documentos de protótipo do TBD, o Web5, como uma plataforma web descentralizada (DWP), permite que os desenvolvedores criem aplicativos web descentralizados por meio de DIDs e nós descentralizados.

Fonte: Cointelegraph

O que é a hashrate do Bitcoin?

Trata-se de um indicador do poder computacional utilizado durante o processo de mineração de Bitcoin. Mensurado em unidades hash por segundo, significa a quantidade de cálculos que as máquinas podem processar a cada segundo na rede Bitcoin.

Qual o impacto disso nos mercados?

O hashrate impacta a segurança da rede do Bitcoin. Dessa forma, com ele elevado, a rede da criptomoeda se torna mais segura e portanto com melhores fundamentos, que no médio prazo tendem a impactar o preço. Existe uma relação diretamente proporcional entre ambos.

O que está acontecendo?

Nas últimas 24 horas o preço do Bitcoin atingiu seus níveis mais baixos desde dezembro de 2020, caindo abaixo da zona crítica de US$ 25.000, mas, apesar da queda do mercado a taxa de hash do Bitcoin alcançou um novo recorde histórico (ATH) de 231.428 exahash por segundo (EH/s). Esta nova ATH indica um elevado interesse pela mineração, com um número maior de dispositivos atuando para a manutenção dos fundamentos do Bitcoin, ajudando a tornar o blockchain mais segura contra possíveis ataques, sendo um possível sinal otimista de que mineradores estão cada vez mais dispostos a implementar capital a longo prazo à infraestrutura do BTC.

Eduardo Andrade • Analista Yellow Crypto