A exchange tailandesa de criptomoedas Zipmex pausou os saques em sua plataforma após uma “combinação de circunstâncias” além de seu controle. Os relatórios do Cointelegraph de que a Zipmex poderia estar com problemas foram descartados como “rumores” pelo CEO e cofundador Marcus Lim após a aquisição fracassada da exchange tailandesa pela Coinbase.

Devido a uma combinação de circunstâncias fora de nosso controle, incluindo condições de mercado voláteis e as dificuldades financeiras resultantes de nossos principais parceiros de negócios, para manter a integridade de nossa plataforma, estaríamos pausando os saques até novo aviso.

— ZIPMEX (@zipmex) 20 de julho de 2022

A Coinbase fez uma oferta para adquirir a exchange de criptomoedas tailandesa Zipmex no início do primeiro trimestre de 2022. Em 9 de junho, a aquisição fracassou. Em vez disso, a Coinbase fez um “investimento estratégico” na empresa – o valor não foi divulgado.

Lim disse ao Cointelegraph que, embora a Coinbase seja uma parceira interessante, “um investidor faz mais sentido neste estágio”. Ele explicou que o grupo fala com várias partes diferentes a qualquer momento, citando o mercado de baixa como a razão pela qual a Coinbase optou pela não aquisição:

“A aquisição fracassou devido às condições do mercado. Eles saíram em muitos países ao redor do mundo, como a Turquia e na América Latina. A Coinbase é um grande parceiro estratégico para o negócio.”

De acordo com o Block, a Zipmex está trabalhando em um levantamento Série B+ que pode avaliá-la em US$ 400 milhões. O Cointelegraph informou que a Zipmex possui operações compatíveis na Tailândia, Indonésia, Singapura e Austrália. Em agosto de 2021, a base de usuários da Zipmex atingiu 200.000 enquanto registrou mais de US$ 1 bilhão em volume bruto de transações desde seu lançamento no final de 2019.

De acordo com os comunicados de imprensa da Zipmex, a subsidiária tailandesa da empresa possui uma licença de câmbio de ativos digitais e uma licença de corretagem emitida pelo Ministério das Finanças da Tailândia, enquanto o grupo é regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários.

No entanto, uma fonte próxima à exchange explicou que a Zipmex pode estar com problemas antes de congelar os fundos dos clientes. Segundo a fonte, que optou por permanecer anônima, a Zipmex “tem uma licença de câmbio tailandesa e um status isento em Singapura”.

“Sob a licença tailandesa, eles são estritamente proibidos de tocar nos fundos dos clientes. No entanto, a Zipmex tem um produto na exchange chamado zip-up que efetivamente permite que os usuários movam fundos sob a entidade de Singapura para obter rendimento. ”

A fonte explicou que “os fundos foram entregues à Babel para gerar o rendimento. Cerca de US$ 100 milhões foram emprestados à Babel, que agora está em risco de inadimplência”. Em junho, a gestora de ativos Babel Finance, com sede em Hong Kong, interrompeu os saques, devido a “pressões de liquidez incomuns”.

O Sudeste Asiático não foi protegido do contágio cripto do mercado de baixa, como em Singapura, a exchange Vauld recentemente congelou os fundos dos clientes. A Nexo teria oferecido uma compra, mas o grupo também se ofereceu para comprar a Celsius.

Quando pressionado sobre se a Zipmex poderia enfrentar as mesmas consequências que a Celsius, a fonte comentou que “é possível. A Babel ainda não liquidou seu default e é um buraco de 100 milhões de dólares.” Celsius congelou os fundos dos usuários em 13 de junho e muitos temem que a exchange possa sofrer o mesmo destino que a Mt. Gox.

Em resposta às alegações, Lim disse ao Cointelegraph que era “business as usual”. Lim enfatizou que o grupo “não comenta rumores”.

No entanto, de acordo com relatórios de clientes da Zipmex e da conta oficial da Zipmex no Twitter, a empresa congelou as retiradas dos clientes.

Fonte: Cointelegraph